terça-feira, 25 de dezembro de 2012

[RESENHA] Persuasão - Jane Austen

"O enredo deste empolgante livro gira em torno dos amores de Anne Elliot que se apaixonara pelo pobre, mas ambicioso jovem oficial da marinha, capitão Frederick Wentworth. A família de Anne não concorda com essa relação e a convence romper seu relacionamento amoroso. Anos após Anne reencontra Frederick, agora cortejando sua amiga e vizinha, Louisa Musgrove. "Persuasão" é amplamente apreciada, pois tem uma simpática história de amor, de trama simples e bem elaborada, e mostra o estilo de narrativa irônica de Jane Austen. Além disto, é original, pelo fato, entre outros motivos, de ser uma das poucas histórias da escritora que não apresenta a heroína em plena juventude. O romance também é um apanágio ao homem de iniciativa, através do personagem do capitão Frederick Wentworth que parte de uma origem humilde e que alcança influência e status pela força de seus méritos e não através de herança."




 

Edição: 1
Editora: Martin Claret
ISBN: 9788572327954
Ano: 2010
Páginas: 241
Tradutor: Roberto Leal Ferreira




 


Anne e Frederick são noivos e apaixonados, porém, Anne é persuadida, por sua amiga, a deixá-lo, pois, segundo os argumentos da amiga, apesar de inteligente e bonito, o moço é pobre, deixando de ser um bom partido para uma Elliot (sobrenome da família). 
Oito anos se passaram. O pai de Anne precisa alugar sua casa, e, entre tantos locatários disponíveis, quem aparece? o cunhado de Frederick. Isso quer dizer que o moço estará sempre na vizinhança.
Anne tenta, de toda maneira, fugir desse encontro. Porém, as tentativas são vãs.
A irmã de Anne, Mary, é casada com Charles Musgrove, e suas cunhadas, Henrietta e Louisa, se mostram ambas um bom partido para Frederick, que aparece procurando uma parceira. Será que Frederick esqueceu completamente o amor que sentia por Anne, ou criou um sentimento de repulsa? E Anne? Após oito anos, o amor deles continua?

O resto da história se passa nesse enredo e, é claro, com outras pequenas tramas. 
Persuasão é o último livro da autora. 
Li a edição da "Coleção a obra prima de cada autor" e achei muito interessante que, no final do livro, temos a oportunidade de ler o primeiro final que Jane Austen escreveu, mas que se arrependeu, e acabou mudando para o original. 

Skoob. 
✩✩✩✩ - Muito Bom.

RESENHA: O Morro dos Ventos Uivantes - Emily Bronte

"Na fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes nasce uma paixão devastadora entre Heathcliff e Catherine, amigos de infância e cruelmente separados pelo destino. Mas a união do casal é mais forte do que qualquer tormenta: um amor proibido que deixará rastros de ira e vingança. "Meu amor por Heathcliff é como uma rocha eterna. Eu sou Heathcliff", diz a apaixonada Cathy. O único romance escrito por Emily Brontë e uma das histórias de amor mais surpreendentes de todos os tempos, O Morro dos Ventos Uivantes é um clássico da literatura inglesa e tornou-se o livro favorito de milhares de pessoas, incluindo os belos personagens de Stephenie Meyer."





 Edição: 1
Editora: BestBolso
ISBN: 9788577992027
Ano: 2010
Páginas: 406
Tradutor: Rachel de Queiroz







 Clássico romântico! O que posso dizer da história de amor (e de vida) de Catherine e Heathcliff? 
Um amor meio doentio, mas ainda assim, amor. Heathcliff é um personagem de forte personalidade. Desde o começo do livro, quando ainda era uma criança, consegui perceber a barreira de sentimento que cria com o mundo, movido pela falta de carinho e amizade de sua família adotiva. A única pessoa que mostra sentimentos para com ele é Catherine e, claro, essa é a causa que gerou o amor que sente por ela. Se esse amor é recíproco, é o que tentamos entender ao longo da narrativa. 
A história traz uma entonação diferente para nós, do mundo moderno, pois Heathcliff é o irmão adotivo de Catherine, o que nos faz acreditar em um sentimento fraternal entre os dois. Mas não, o amor de Heathcliff por Catherine não tem nada de fraternal. Heathcliff se mostra capaz de tudo para que ela o ame e é esse esforço que nos gera um sentimento de piedade (?) por ele. 
Fiquei confusa quanto aos meus sentimentos pelo personagem, pois ele tem atitudes grosseiras. Como já disse, é incapaz de mostrar sentimentos por outras pessoas que não Catherine e se mostra sempre interesseiro. Essas características me deixaram com um pouco de raiva. Porém, a piedade toma conta quando percebemos o porquê de ele ser assim e os esforços que faz pra mostrar seu único sentimento. 

Há pessoas que amaram o livro. Outras, odiaram.
Eu gostei, nada mais que isso. Mas, como já disse, sou louca por finais surpreendentes. 

  PS.: EXISTE O FILME! 

✩✩✩ - Bom

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

RESENHA: Anna e o Beijo Francês - Stephanie Perkins

"Anna Oliphant tem grandes planos para seu último ano em Atlanta: sair com sua melhor amiga, Bridgette, e flertar com seus colegas no Midtown Royal 14 multiplex. Então ela não fica muito feliz quando o pai a envia para um internato em Paris. No entanto, as coisas começam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um lindo garoto -que tem namorada.Ele e Anna a se tornam amigos mais próximos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas. Anna vai conseguir um beijo francês? Ou algumas coisas não estão destinadas a acontecer?"

 


 Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788563219329
Ano: 2011
Páginas: 288
Tradutor: Fabiana Paganini de Andrade








 Como já dito na postagem anterior, Anna e o Beijo Francês é um romance super doce, que se passa em Paris (tem como ser mais doce?)
Anna está no terceiro ano do ensino médio e é obrigada, por seu pai, a estudar em Paris, pois acha que essa é uma ótima oportunidade e lhe trará um futuro promissor. Anna é de Atlanta e, a contragosto, deixa pra trás sua melhor amiga, seu quase namorado e sua família.
Chegando em Paris, conhece Etienne, o rapaz popular da escola e, como várias outras meninas, se sente atraída por ele. E ah, ele tem namorada.
O relacionamento dos dois é de pura amizade, mas Anna está com o coração dividido entre o ex (de Atlanta) e seu mais novo companheiro. Etienne largará a namorada por ela? O beijo francês é dele ou do seu novo ficante?
Fora essa "intriga" principal, várias outras acontecem, pois, como Anna está longe, as coisas acontecem em Atlanta sem que ela tenha como lidar com isso. Uma viagem de volta lhe mostrará quem realmente são seus amigos e quem se importa com ela.
Ai ai, um livro, como já dito, muito doce. Várias vezes, durante a leitura, eu parava e ficava toda apaixonada, sabe?
É uma pena ser tão curto, mas a história é muito boa e cheia de acontecimentos importantes!

Skoob. 
✩✩✩✩✩ - Ótimo

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

[RESENHA] A Sangue Frio - Truman Capote

  "Um homem religioso, uma mãe depressiva, um adolescente, uma garota dona de casa, um cachorro amedrontado e dois ladrões frustrados. Esses e outros personagens são os ingredientes chave para o romance jornalístico A sangue frio, de Truman Capote. O livro é uma reportagem investigativa sobre o assassinato de quatro membros da família Clutter, o casal e seus dois filhos caçulas, ocorrido em 1959 na cidade de Holcomb, no Kansas, Estados Unidos."


 



 Edição: 1
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 8535904115
Ano: 2003
Páginas: 440
Tradutor: Sergio Flaksman









Demorei tanto pra ler Ana Karenina que devorei A Sangue Frio. 
Truman Capote foi um jornalista, mas que sempre pendeu para a arte de ser escritor. Escreveu muitos romances, contos, etc.
Ao ficar sabendo do assassinato brutal de uma família (Um homem religioso, uma mãe depressiva, um adolescente, uma garota dona de casa) em uma pequena cidade de Kansas, decidiu que esse seria o conteúdo de seu novo livro. 
Passou anos recolhendo depoimentos, lendo diários, investigando... Nesses anos, virou amigo dos dois assassinos, Richard Hickock e Perry Smith e, por esse motivo, seu livro está repleto de diálogos entre eles e pensamentos de ambos. 
Não posso deixar de citar a perfeita escrita do autor. Embora o livro tenha sido escrito na década de 60, a escrita é muito atual. Fácil de ler. 

A Sangue Frio termina com o resultado da sentença condenatória... Que eu, claro, não vou dizer qual é! rs. LEIAM!

Obs.: Quando pesquisei sobre A Sangue Frio, antes de lê-lo, vi algumas críticas dizendo que Capote omitiu muitas coisas, como, por exemplo, a homossexualidade dos assassinos (que no livro, são bem héteros). Não acredito que possa influenciar no sentimento que levamos após lê-lo, mas é curioso. 

Beijos!

Skoob.
✩✩✩✩ - Muito Bom.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

[RESENHA] Ana Karênina - Tolstói.


"Uma das melhores obras de Tolstói, o romance Ana Karênina narra a história do amor difícil e controvertido vivido pela protagonista Ana na Rússia czarista. Ela é uma mulher casada que vai atrás de seu amante Vronski mas, arrebatada por uma paixão proibida, resvala cada vez mais para um abismo de mentiras e destruição. Tolstói questiona o significado da vida e da justiça social tendo como pano de fundo as crises familiares. É o maior romance do adultério na literatura universal."
 
 






Edição: 1
Editora: Nova Cultural
ISBN: 8513010979
Ano: 2003
Páginas: 654
Tradutor: Mirtes Ugeda







Geeente, finalmente! haha
Terminei Ana Karênina, e foi o livro que mais demorei pra ler. Mas o problema não foi (só) o livro. Comecei a lê-lo em época de provas da faculdade e tinha muitas outras coisas pra fazer... enfim! Agora terminei e aí vai minha opinião...

O livro é um clássico e traz a história extra-conjugal de Ana Karenina e de seus problemas para enfretá-la. Porém, em algumas partes, a história percorre caminhos totalmente diferentes do romance. Fala da política russa, da vida no campo, de Kitty (outra personagem que tem seu romance narrado no livro). Não posso deixar de dizer que o livro é ótimo, porém, demorado. 
Já vi um blogueiro comentando que se o livro tivesse apenas 70% de seu conteúdo, seria mais fluído e não interferiria em nada na história. E sou obrigada a concordar com ele. Tolstói descreve muitas coisas que não mudam em nada a história, e, quando você lê, dá a impressão de que poderia ter pulado aquela parte e voltado na história original, sabe? Como se ele viajasse um pouco na escrita.
Mas o resultado é ótimo e não me arrependo de ter lido. 
Indico pra quem quer um clássico romântico e, de alguma forma, quer aprender um pouco mais sobre a realidade russa da época.

Skoob.
✩✩✩✩ - Muito Bom.


terça-feira, 27 de novembro de 2012

[RESENHA] "Saga" Becky Bloom - Sophie Kinsella

 





















Os melhores livros de comédia romântica de todos os tempos. Impossível ler e não rir com a Becky. Já emprestei meus livros pra várias pessoas e todas elas amaram. Acho difícil não gostar. É um passatempo, com certeza. 
Sabe aquele tempo que você precisa descansar e se desligar? Pegue um livro da série e divirta-se! Uma leitura super fácil, fluída, maravilhosa.
Becky é uma pessoa super enrolada e... CONSUMISTA! Não consegue passar por um anúncio “SALE!!!” e não parar pra comprar. Porém, suas compras sempre acabam saindo do limite e criando, assim, muitos problemas em sua vida. O gerente do banco que não sai do seu pé, o homem que ela enganou pra comprar uma echarpe...
As histórias são ótimas, livro após livro. Quando você acha que não tem como ficar melhor, Sophie nos surpreende. 


Os livros da Becky foram os meus livros mais esperados. Acabava de ler o lançamento e já não me aguentava de curiosidade pra ler o próximo. Até então, são 6 livros. (Espero que saiam mais!)
 


✩✩✩✩✩ - Ótimo


Já existe um filme dos primeiros livros da "saga". É bem engraçado, porém, nem chega perto dos livros. E, como o filme foi lançado quando vários livros não existiam ainda, ele para com a história (sendo que os livros mais engraçados são a partir do 3º). Mas, se preferir, o trailer tá aí :)



domingo, 25 de novembro de 2012

Estou lendo...

Uma vontade de ler clássicos me invadiu. Não sabia por onde começar, então, peguei um romance. Ana Karênina, de Tolstói. O livro, apesar de antigo, tem uma linguagem super fácil e a história é uma delícia. Estou adorando, apesar de ainda estar no começo (segunda parte do livro). Também vi a indicação em um canal literário e escolhi este por ser um romance, já que adoro.

Assim que terminar, posto a resenha pra vocês. 
=)

RESENHA: O bosque das ilusões perdidas - Alain Fournier





Vi a recomendação deste livro em um canal literário. Foi muito bem falado e, na hora, me deu um desejo de lê-lo! Emprestei-o na biblioteca e o li em dois dias (mas é curtinho, dá pra ler em um dia só). É uma história antiga e bem construída. 
A linguagem é fácil e o que nos chama atenção é a mentalidade dos personagens. Boa parte da história se passa num colégio apenas para garotos, com todas as tramoias que eles inventam. A outra parte do livro é o romance. A busca pelo amor, pela alma gêmea. Os dois melhores amigos apaixonados pela mesma garota. O final do livro é emocionante. Adorei!

[RESENHA] Os catadores de conchas - Rosamunde Pilcher

"A saga de Penélope Keeling, filha de um pintor vitoriano idoso e de uma jovem francesa, liberal e independente, cuja existência confunde-se com a de milhares de mulheres. O universo de uma mulher vigorosa, firme e bela. A saga familiar de Rosamunde Pilcher, lançada em 1987, na Europa e, em 1990, no Brasil, ganha uma introdução, escrita pela autora, em homenagem à trajetória de sucesso da obra. Neste texto, Rosamunde conta a história da criação de Os Catadores de Conchas."








Edição: 38
Editora: Bertrand Brasil
ISBN: 9788528601114
Ano: 2009
Páginas: 700










O livro conta a história dos Keeling. Penelope, a protagonista, é a filha de um pintor falecido que nunca fez muito sucesso. Porém, de repente, suas obras adquirem valor no mercado. Tendo ela herdado o quadro "Os Catadores de Conchas" e, sendo este o quadro mais valioso do pintor, as disputas entre a família começam. Conhecem aquela frase: "A herança é o que os mortos deixam para que os vivos se matem"? Pois é, ela se encaixa perfeitamente aqui. Pessoas que antes nunca se interessaram pelo quadro, agora, querem fazer a cabeça de Penelope para que ela venda o mesmo por um valor extraordinário. Ocorre que ela é muito apegada à obra, sendo esta a única lembrança de seu falecido pai. 
Tenho os catadores de conchas há, pelo menos, 3 anos. Já li vários livros da Rosamunde e amei todos eles. Mas este, em especial, me fazia desistir no começo da história, por ser parada e sem acontecimentos especiais. E, além disso, o livro é bem longo. Porém, estava louca pra ler um romance e, dessa vez, Os Catadores de Conchas me chamou atenção. E prometi pra mim mesmo que não pararia de lê-lo na metade.
Nem foi preciso. O comecinho do livro é, realmente, meio parado. Mas logo começam os acontecimentos importantes e os romances vão se iniciando e você já não consegue largá-lo. Me arrependi de não ter lido antes. 
Outro ponto muito legal do livro é que ele é cheio de romances entre personagens variados. Temos várias histórias românticas em um mesmo livro, e é fascinante! A cada página, amor, amor e amor. Portanto, a história não gira somente em torno do problema da herança, mas cria histórias e romances independentes, que no fim passam a se encaixar. Filosófico, até certo ponto. Dará um tapa na cara de muitas famílias por aí e é por isso que não é todo mundo que vai gostar (talvez por se identificar).
Se você procura um livro bem romântico, é este! Amei, como todos os outros da autora. E esse ainda com um toque especial, por incluir várias histórias. 

Obs: Li em algum lugar que o livro Setembro, da autora, é continuação deste, mas que não ficou tão famoso. Entrou pra minha lista de próximos livros a serem lidos.


Skoob.
✩✩✩✩✩ - Ótimo

[BOOK HAUL] Minhas Novas Aquisições!

Depois de um tempinho sem aparecer por aqui, volto com novas aquisições. E todas ótimas!
Passei esse tempo todo vendo canais literários, pois precisava de livros... diferentes! Estava cansada dos livros que tinha em casa e, ao mesmo tempo, não sabia o que comprar. Depois de muito procurar... encontrei! E aí estão eles:

 Anna e o beijo francês - Stephanie Perkins


Crime e Castigo - Dostoiévski


À Sangue Frio - Truman Capote
 

 A Resposta - Kathryn Stockett (livro que deu origem ao filme Histórias Cruzadas)



Starters - Lissa Price



Madame Bovary - Gustave Flaubert



Como podem ver, comprei de tudo. Clássicos (Madame Bovary e Crime e Castigo), romances (Anna e o beijo francês, A resposta), não ficção/mistério (À sangue frio) e ficção (Starters - do tipo do Jogos Vorazes). Todos eles estão me deixando super ansiosa! Assim que for lendo, vou postando aqui pra vocês a resenha =) 






segunda-feira, 19 de novembro de 2012

[RESENHAS] JHON BOYNE ♥

Meu querido Jhon Boyne! Não teria como fazer uma resenha de cada livro que ele escreveu pois meus comentários para todos são idênticos: PERFEITOS!

Jhon Boyne tem o poder de juntar, em seus relatos, história (não ficção, como por exemplo: 2a. Guerra Mundial - em O Menino Do Pijama Listrado), romance (sim, histórias de amor) e uma pitada de suspense. Todas as melhores características em um só livro.

Só tenho uma crítica ao autor: suas escritas são muito espaçadas. Em anos de carreira, só temos 4 livros de Jhon Boyne no Brasil. O último, O Pacifista, foi lançado recentemente e vou CORRER pra comprá-lo, pois já não estou aguentando de ansiedade. Assim que eu ler, posto a resenha aqui pra vocês.

Vou fazer breves comentários para cada livro de Jhon Boyne que li:

O GAROTO NO CONVÉS:


John Jacob Turnstile era um ladrãozinho que vivia perambulando pela cidade. Num certo dia, decidiu que iria roubar o relógio de um certo rapaz. Roubou, mas foi pego logo em seguida. Após ir para a delegacia, Jhon é colocado em uma prisão temporária. Porém, um fidalgo aparece e leva o garoto para trabalhar em um navio. É aí que a deliciosa história começa. Toda a viagem de navio é contada no livro, descrevendo os enjoos dos rapazes, as brigas constantes, a relação que Jhon (agora chamado de Tutu) cria com seu capitão... 
O navio para numa ilha, Otaheite, também conhecida como polinésia afrodisíaca. Lá, Tutu tem seus primeiros contatos com uma mulher. 
Depois de tempos na ilha, de amizades e fortes relações criadas, a partida fica difícil. 
De volta ao navio, problemas surgem, até que chegam a um ponto de miséria total, onde tem que passar muitas e muitas horas sem comida e, quando comiam, era uma mordida de pão. A falta de água é o pior pesadelo. A morte dos companheiros só os deixavam mais apavorados.

A narrativa é fantástica, impossível parar de ler. Indiquei para um amigo que não gostava de ler e ele leu rapidinho e AMOU. Jhon Boyne cativa à todos! 

O mais delicioso dessa história é olhar nas partes finais do livro e ver que tudo não foi apenas uma ficção do autor, ele tirou tudo isso de biografias e livros históricos!


O PALÁCIO DE INVERNO:


 O livro é uma mescla de momentos do presente e passado, onde, ao ler coisas do passado, imagina as coisas do presente, e vice-versa. A narração do livro é envolvente, suave, contagiante! A história, dessa vez, é russa. Geórgui, um garoto que não nasceu para ser nada na vida, até que um dia, um inesperado acontecimento faz com que ele passe a ser o acompanhante real do filho do czar. Geórgui passou, então, a trabalhar para a nobreza russa e (aí está o romance) se apaixona por uma das damas da casa. A paixão proibida dos dois é de tirar o fôlego. Apaixonante! Eles são obrigados a se separar, pois ele tem que sair da casa... (e é então que o desespero toma conta de nós). Passamos, em sua narrativa, pela Revolução Bolchevique, e pela Inglaterra em tempos de Guerra. 

O que sabemos pela narrativa do presente é que Geórgui é casado e que sua esposa está muito doente. Então, o que será que aconteceu com seu relacionamento com a pequena dama russa? A história dos dois teve um fim? Se sim, qual foi ele?

O MENINO DO PIJAMA LISTRADO:

A arrebatadora história do garoto que mora ao lado de um campo de concentração e faz amizade com um garoto judeu, prisioneiro. Conversam entre as grades... O livro conta toda essa amizade, descreve a guerra (aí a parte da não ficção), a relação familiar, etc. O que acontece no fim, só lendo pra saber.   

O livro virou filme, e se quiser, veja o trailer:


Espero que tenham, pelo menos, criado expectativas de leitura para os livros de Jhon Boyne. Tenho certeza, não se arrependerão!

O que vocês tem a me dizer sobre ele? Pelo menos, já assistiram ao filme?